A Impossibilidade de Ser Pãe

setembro 3, 2007 at 8:03 pm 3 comentários

                                                                                                                  

 Liliam Freitas 

Nunca havia refletido sobre o ser pãe, apesar do termo fazer parte do nossa vida e nosso vocabulário. Essa palavra, em geral, refere-se às mulheres que supostamente exercem o papel de mãe e pai, daí pãe. Digo pãe e a impossibilidade de sê-lo de acordo com a incoerência desse discurso. A mulher pode exercer o papel de mãe, mas não o de pai. A mulher já galgou tantas posições (e ainda tem outras) que acredita que pode ser mãe e pai. E não pode! Ela pode sim ser uma profissional competente, a dona de casa esforçada, e mãe /educadora que cuida do filho sem a parceria do companheiro e que nem divide  as múltiplas tarefas com ela. Ela pode ser uma supermãe, a mãe heroína ou uma grande mãe/mãezona, entretanto pai não, por mais que  a responsabilidade educacional sobre o filho recaía mais ou apenas nela.

As mães, comumente, chamadas  de pães são esteios de família. Trabalham, cuidam do/a(s) filho/a(s) e da casa, e se tornam chefe da casa… mil e uma tarefas e responsabilidades, tanto no trabalho quanto no lar. Muitas vezes sem uma parceria, mesmo com um homem ao lado, machista que acha que as coisas de casa são estritamente femininas, trabalha fora,  a mulher também, todavia  não considera o fazer em casa, é macho, não homem… um imbecil!

Quando há a separação familiar, na maioria dos casos, o/a(s) filho/a(s) fica(m) na guarda da mãe. Pior é se a mãe se considera auto suficiente para ser mãe e pai.A arrogância, a prepotência, a mesquinhez, a falta de bom senso e o egoísmo são elevados ao cubo se a mulher adere a produção independente. Ela acredita que pode ser Pãe (pai+mãe) e desmerece a importância do homem/pai. Ela quer um filho, e acha que é normal para isso pegar um espermatozóide ou … para ter o baby. Uma criança sem pai, sem pãe, só com a mãe, uma equação incompleta.

 Eu não sou tradicionalista, nem puritana, sou feminista e sou da opinião de que filho/a merece família-pai e mãe, avós, tios…, pode ser inclusive homossexuais em que os papéis precisam ser exercidos. Planejamento familiar não é só a vontade de ter filho ou financeiro, mas é especialmente psicológico.

Pode parecer moralista, não é meu tipo,contudo considero um crime as mulheres que engravidam de produção independente (por opção), nem revelam aos filhos quem é o pai. Ignoram que o homem/pai  é tão importante quanto a mulher/mãe nesse nobre e produtivo desafio de educar um/a filho/a. O ideal seria que a influência e a participação dos pais[pai/mãe] fosse equivalente, não como hoje em que a mulher tem participado mais, ao tal ponto que já se considera que pode ser pai também. E não pode!

Na minha formação, a minha mãe exerceu a maternidade até mais do que devia, e meu pai se eximiu quando fui crescendo . Ele deve ter ficado com medo da mulher que havia dentro de mim. Há pouco tempo ainda chamava minha mãe de pãe, hoje sei que ele nunca foi, mas foi uma super mãe, fez tudo que eu queria (erro dela, rs), uma mãe curujissíma. Minha mãe… meu pai estava lá , sempre lá. Quando era pequena, bem pequena, bebê, chamava por ele, meu pai, eu passava mal, meu pai. Não dizia “Mã, mã”, era “Pa, Pa”, Depois ele sumiu, tanto que eu esqueci dele, mesmo ele sempre morando na mesma casa.

O espaço dele ficou um pouco vazio. Meu pai chegou a ser meu pai no momento mais crucial da minha vida, na minha infância. Na adolescência, ele sumiu. E depois foi exercendo o papel de pai erradamente. Cresci, sou de ferro, ele foi importante, poderia ser mais, se fosse mais pai, amigo, companheiro e inteligente. O primeiro homem da minha vida, me teve nas mãos, chamava por ele numa fase que estava aprendendo a pensar e a falar. Meu pai é um bobo, contudo sem ele minha vida seria outra.. Enfim, os homens /pais são fundamentais  para os filhos, e não são as mulheres que podem fazer esse papel, apenas o de mãe que não é pequeno

Entry filed under: Geral. Tags: .

US Cabelo de Negro

3 Comentários Add your own

  • 1. Kenia Araújo  |  setembro 6, 2007 às 11:44 pm

    Maravilha de texto.
    Eu como mãe, bem sei a importância do meu marido na criação da nossa filha, não só financeiramente, claro, mas como um grande apoio moral, afetivo, enfim, na educação e na vida da Maria Eduarda.
    Eu como filha que ficou orfã de pai aos 3 anos, bem sei o quanto esta figura de pai faz falta, imagino que deva ter sido ainda pior para o meu irmão. Por mais guerreira e importante que a minha mãe tenha sido em nossas vidas, não posso negar que sempre ficou um imenso vazio no lugar dele .
    As mulheres consegiram mesmo alcançar coisas inimagináveis há décadas atrás, porém exercer o papel de pai é impossível mesmo.
    Uma reflexão bem feita a respeito deste tema.
    Beijos!

    Responder
  • 2. liliamfreitascs  |  setembro 7, 2007 às 1:56 pm

    Kenia você sabe da impossibilidade de ser pãe até melhor do que eu. Agradeço por ter vindo mais uma vez aqui ter lido meu texto e comentado, obrigada mesmu

    Responder
  • 3. Jonathas Nascimento  |  setembro 10, 2007 às 1:35 pm

    Liliam,

    Há hj no mundo uma mulher entregue a todos, (os mesmo) vícios dos machos de duas gerações atrás!!! Pegue como exemplo mulheres como Adriane Galisteu, Xuxa, Ana Maria Braga, Luciana Gimenez, e outras que já me cansaram a beleza!! Elas são ‘over’, podem tudo porque possuem dinheiro, status, fama e sei lá mais o quê. Pessoas mal dimensionadas, com a inteligência emocional do tamanho de uma criança birrenta de sete anos, elas realmente acham que nós homens somos apenas reprodutores e objetos de prazer!! para ser pai não servimos, por isso mesmo as ditas cujas vira e mexe estão sozinhas – que homem são gostaria de conviver com alguém que precisa aparecer em pelo menos três revistas semanais a cada oito dias??? Que ser humano mais sensível agüenta o discurso prepotente e incosequente dessas peruas mal amadas??? Acho que os homens contribuíram muito para esse tipo de coisa, e agora são vítimas do seu próprio veneno, Felizmente ainda há no mundo mulheres e homens conscientes que em se tratando de filhos toda a discórdia e diferenças devem ser postas de lado (pelo menos por algum tempo) em benefício de um ser humano que está se desenvolvendo rapidamente para ser posto na selva do dia a dia em que se tornou o mundo atual! Ser mãe é fundamental para o sexo feminino, tanto quanto ser pai torna-se essencial para os homens comprometidos com o amanhã!!!

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

setembro 2007
S T Q Q S S D
« ago   out »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: